Home Política Brasil Polícia Genocida Assassina Jovens em Paraisópolis
Brasil - Política - 3 de dezembro de 2019

Polícia Genocida Assassina Jovens em Paraisópolis

Nove jovens foram assassinados pela PM Paulista, sob as ordens de João Dória, na madrugada do último 1° de Dezembro.

“Das nove pessoas que morreram, quatro tinham menos de 18 anos e oito eram homens. O jovem mais novo tinha 14 anos e parte não era morador da comunidade. Além dos mortos, 12 jovens foram hospitalizados e, até o momento, um continua internado.”

Fonte: Jornal A Nova Democracia

Os mortos foram: Marcos Paulo Oliveira dos Santos, de 16 anos; Dennys Guilherme dos Santos Franca, de 16 anos; Denys Henrique Quirino da Silva, de 16 anos; Gustavo Cruz Xavier, de 14 anos; Bruno Gabriel dos Santos, de 22 anos; Eduardo Silva, de 21 anos; Mateus dos Santos Costa, de 23 anos; Gabriel Rogério de Moraes, de 20 anos; e Luara Victoria de Oliveira, de 18 anos.

A Polícia Militar, segundo demonstram vídeos de moradores, além de testemunhas, nada mais fez que uma verdadeira armadilha, destinada a aterrorizar e espalhar violência no meio da juventude periférica da região.

Isto, como sempre, reacende o debate sobre o papel da Polícia Militar: promover o genocídio em massa do povo pobre, visto que em hipótese alguma tais ações aconteceriam nos redutos de festa e ebriedade em vias públicas promovidas por filhos da pequena e média burguesia em locais como Jardins, Augusta, etc., típicos redutos de estudantes do Mackenzie, PUC, Cásper Líbero e assim por diante.

Além disso, reaviva mais que nunca a única consigna que pode responder a este brutal ataque: A POLÍCIA MILITAR TEM QUE ACABAR!

Moradores já demonstraram revolta contra o massacre. A “justiça” do Velho Estado, até o momento, “investiga” o ocorrido e afastou meia dúzia de policiais.

Chamamos a todos os democratas, marxistas e patriotas que não mais suportam o genocídio contra o povo pobre a incendiar as periferias com intensa propaganda e agitação contra os crimes do Velho Estado e sua polícia genocida.

Juntemos forças ao povo revoltoso até a vitória!