Home Arte do Povo Sobre Entender, Questionar, Compreender e Transformar.
Arte do Povo - Crônica - 24 de junho de 2020

Sobre Entender, Questionar, Compreender e Transformar.

Quando eu nasci já havia mundo, céu, estrelas, meu pai, um banco, uma indústria, o capitalismo.

Crescendo, fui ensinado às regras do jogo: estude, obedeça, se esforce, obedeça, trabalhe, obedeça, compre coisas e guarde dinheiro. Entendi, é assim que vou chegar lá.

Mas no meio desse caminho, talvez até mais tarde do que deveria, eu me questionei: chego lá onde?

Só dá pra estudar na lógica que é dada. Minha escola do ensino médio parecia mais uma prisão de filme do que as escolas que apareciam por lá também. A gente trabalha pra ter dinheiro, o dinheiro serve para comprar coisas e é bom que eu pense mais em mim do que nos outros, porque, se não, parece demorar mais para “chegar lá”.

Trabalha, eu, compra, eu, vende, eu, compra, eu, vende, eu, trabalha, eu.

“Não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, pelo contrário, é o seu ser social que determina a sua consciência.” Acho que compreendi, deve ser por isso que até certo tempo achei que essa loucura toda fosse só o que existia. Mas não é. Ainda bem que não é.

A vida era muito pequena, pouca. A partir da insatisfação, da negação da vida medíocre, saí por aí em busca de solução, independentemente de qual fosse, que me mostrasse uma saída, um caminho que não fosse uma esteira estéril do acumulo de dinheiro e coisas até o meu enterro.

O mais legal de tudo isso? Estava aqui pra qualquer um ver, percebi que um monte de gente já havia visto. “De onde vêm as ideias corretas? Caem do céu? Não. São inatas dos cérebros? Não. Só podem vir da prática social, dos três tipos de prática: a luta pela produção, a luta de classes e os experimentos científicos na sociedade. A existência é sócia do povo e determina seus pensamentos.”

Só o que faltava era examinar com mais cuidado, ter motivação pra mirar o olhar. Pois bem, eu olhei.

E se por muito tempo achei que fosse suficiente só ver, pensar e refletir, aprendi na marra que hoje o que importa é transformar.