Home Formação Economia Fragmentos do Resumo de: “Conversas Com Camaradas Responsáveis Por vários Locais Durante Visita Provincial”
Economia - Formação - 2 de abril de 2020

Fragmentos do Resumo de: “Conversas Com Camaradas Responsáveis Por vários Locais Durante Visita Provincial”

  • De meados de Agosto a Setembro de 1971.

Introdução

No seguinte artigo, o Presidente Mao Tsetung aborda de maneira direta e assertiva a importância da linha política correta, além de seus resultados proveitosos e necessários para a causa revolucionária.

De igual modo, são elencadas algumas das experiências divisionistas e sabotadoras no percurso da Revolução Chinesa que, superadas, demonstram a importância da unidade e do centralismo democrático.

Isto posto, o objetivo central é embasar a busca científica pela justeza ideológica e combater as tendências pequeno burguesas fracionistas, divisionistas e individualistas.

Por conseguinte, este é um fragmento que demonstra — na prática — o quão essencial é buscar sempre o caminho científico no seio da luta proletária, evitando tanto os caminhos revisionistas, quanto às violações à necessária disciplina revolucionária.

TEXTO A SEGUIR:

O Presidente Mao disse: Espero que vocês pratiquem o marxismo e não o revisionismo; que vocês se unam e não se dividam; que vocês sejam sinceros e abertos e não recorram às tramas e conspirações.

O quão correta está, ou não, a linha ideológica e política decide tudo. 
Quando a linha do Partido estiver correta, tudo virá a seu caminho. Se não tiver seguidores, poderá ter seguidores; se não tem armas, pode ter armas; se não tem poder político, pode ter poder político. Se sua linha não estiver correta, mesmo o que ela possui pode ser perdido. A linha é uma corda de rede. Quando é puxada, a rede inteira se abre.

Este nosso Partido já tem cinquenta anos de história, durante os quais tivemos dez grandes lutas sobre a questão de nossa linha. Durante essas dez lutas, existiram pessoas que queriam dividir nosso partido, mas nenhuma delas conseguiu. É uma pergunta que vale a pena estudar: um país tão grande, uma população tão grande, mas sem divisão. 
Só podemos dizer que isso significa que o Partido quer o que as pessoas querem e os membros do Partido não querem uma divisão. Em vista de sua história passada, o futuro do Partido está cheio de esperança.

Primeiro veio Ch’en Tu-hsiu, que entrou no oportunismo de direita. Após a conferência de 7 de agosto de 1927, ele organizou a “facção leninista de oposição de esquerda” junto com Liu Jen-ching, P’eng Shu-chih e outros, e oitenta e um deles emitiram uma declaração. Eles pretendiam dividir nosso Partido, mas não tiveram sucesso. Então, fugiram para lado dos trotskistas.

Em seguida, Ch’ü Ch’iu-pai cometeu erros de linha. Seu povo encontrou um panfleto meu em Hunan, que continha minha observação: “O poder político vem da ponta do fuzil”. Isso os enfureceu. Como o poder político poderia vir do cano de uma arma? Então eles me tiraram a minha posição como membro suplente do Politburo. Mais tarde, Ch’ü Ch’iu-pai foi capturado pelo Kuomintang, escreveu suas ‘Palavras supérfluas’, nos traiu e foi para o outro lado. 

Após o sexto congresso do partido, em 1928, Li Li-san começou a se manifestar. De junho a setembro de 1930, ele seguiu sua própria linha por mais de três meses. Ele defendeu ataques às grandes cidades e conquistou a primeira vitória em uma ou várias províncias. Eu não concordei com tudo isso. No terceiro plenário do sexto comitê central, Li Li-san caiu.

De 1930 a 1931, a facção de direita de Lo Chang-lung criou um Comitê Central separado e se engajou em atividades divisionistas. Mas eles também não tiveram sucesso.

A linha Wang Ming teve a maior vida útil. Ele formou uma facção em Moscou e organizou os ’28 ½ bolcheviques ‘. Confiando no poder da Terceira Internacional, eles tomaram o poder no Partido e o mantiveram por quatro anos. Wang Ming telefonou para o quarto plenário do sexto comitê central em Xangai e publicou seu panfleto: “Luta por Maior Bolchevização do Partido Comunista Chinês”, no qual criticou Li Li-san por não ter sido “de esquerda” o suficiente. Ele não ficou satisfeito até varres todas as bases, como no final ele praticamente fez. Durante os anos de 1931 a 1934, não tive voz no Centro. A Conferência Tsunyi de janeiro de 1935 corrigiu erros da linha de Wang Ming e ela caiu.

Durante a Longa Marcha, após a reunião do Primeiro e do Quarto Exércitos da Frente, Chang Kuo-t’ao realizou uma divisão e criou um Centro separado, mas ele não teve sucesso. Antes da Longa Marcha o Exército Vermelho tinha 300.000 homens. Em sua chegada ao Norte de Shensi, apenas 25.000 permaneceram. Na área soviética central havia 80.000. Destes, apenas 8.000 chegaram ao Norte de Shensi. Chang Kuo-t’ao não queria ir para o Norte de Shensi e fez uma divisão. Mas que saída havia naquela época, além de ir para o Norte de Shensi? Esta foi uma questão de linha política. Nossa linha política na época estava correta. Se não tivéssemos ido para Shensi, como poderíamos ter ido mais tarde para a região norte da China, a região leste da China e a região central da China, Região Nordeste? Como poderíamos ter construído tantas bases na Guerra Anti-Japonesa? Quando chegamos ao Norte de Shensi, Chang Kuo-t’ao fugiu.

Após a vitória nacional, Kao Kang e Jao Shu-shih criaram uma aliança antipartidária, com a intenção de tomar o poder, mas também não tiveram sucesso.

Na Conferência de Lushan de 1959, P’eng Te-huai conspirou com um país estrangeiro para tomar o poder. Huang K’e-ch’eng, Chang Wen-t’ien, Chou Hsiao-chou apareceram e se opuseram ao Partido. Eles formaram um clube militar, embora não discutissem assuntos militares, mas disseram coisas como: “As comunas do povo foram criadas muito cedo”, “Nossos ganhos não compensam nossas perdas” etc. P’eng Te-huai também escreveu uma carta que era uma declaração aberta de guerra. Sua intenção era tomar o poder, mas ele não teve sucesso.

Liu Shao-ch’i e seu grupo também queriam dividir o Partido, mas também não alcançaram suas ambições.

Então veio a luta na Conferência de Lushan de 1970. 

Na Conferência de Lushan de 1970, eles fizeram um ataque surpresa e realizaram atividades clandestinas. Por que eles não ousaram agir abertamente? Claramente tinham algo a esconder. Então, primeiro dissimularam e depois fizeram um ataque surpresa. Ocultaram coisas de três dos cinco membros do Comitê Permanente do Politburo. Eles também ocultaram coisas da grande maioria dos camaradas no Politburo, além de seus poucos grandes generais. Esses grandes generais incluíam Huang Yung-sheng, Wu Fa-hsien, Yeh Ch’ün, Li Tso-p’eng e Ch’iu Hui-tso, além de Li Hsüeh-feng e Cheng Wei-shan. Antes de lançar o ataque surpresa, eles não deixaram escapar um sussurro. Eles causaram problemas não apenas por um dia e meio, mas de 23 de agosto até o dia 24 e até o meio dia do dia 25, no total, dois dias e meio. Esse tipo de comportamento mostra que eles tinham algum objetivo em mente! 
P’eng Te-huai formou um clube militar e emitiu uma declaração de guerra. Eles não estavam nem no nível de P’eng Te-huai. Isso mostra apenas quão baixo era o estilo de trabalho deles.

Na minha opinião, por trás do ataque surpresa e da atividade clandestina havia um objetivo, organização e um programa. Seu programa era nomear um presidente de estado e exaltar o ‘gênio’: em outras palavras, opor-se à linha do nono congresso e derrotar a agenda de três pontos do Segundo Plenário do Nono Comitê Central. Uma certa pessoa estava ansiosa para se tornar presidente do estado, dividir o partido e tomar o poder. A questão do gênio é uma questão teórica. Sua teoria era o apriorismo idealista. Alguém disse que se opor à genialidade é se opor a mim. Mas eu não sou um gênio. Li livros confucionistas por seis anos e livros capitalistas por sete. Eu não li livros marxistas-leninistas até 1918, então como posso ser um gênio? Não coloquei círculos em volta desses advérbios várias vezes? A constituição do partido foi estabelecida no nono congresso. Por que não dar uma olhada? Escrevi ‘Algumas Opiniões’, que criticam especialmente a teoria dos gênios, somente depois de procurar algumas pessoas para conversar e depois de algumas investigações e pesquisas. Não é que eu não queira falar sobre gênio. Ser um gênio é ser um pouco mais inteligente Mas o gênio não depende de uma pessoa ou poucas pessoas. Depende de um partido, o partido que é a vanguarda do proletariado. O gênio depende da linha de massa, da sabedoria coletiva.