Home Política Brasil Greve dos Petroleiros
Brasil - Política - 19 de fevereiro de 2020

Greve dos Petroleiros

Mais uma faísca na pradaria

Não há nada que esteja ruim, que não possa piorar, e essa parece ser a palavra de ordem pra qualquer pessimista, afinal o que comemorar? É militar na Casa Civil, é militar na ANCINE, é miliciano que morre em momento oportuno…

É parece ser bem difícil não ser pessimista num cenário desse, mas pensando bem, pessimista mesmo é quem está iludido com essa tal democracia que tem preso político, e proíbe greve. Quer dizer não é só proibir quer criminaliza-la, ficou sabendo dessa última?

Os petroleiros estão em greve, contra a política de preços da Petrobras, contra as demissões em massa promovidas por Bolsonaro e sua trupe do Velho Estado, os petroleiros estão em greve!

Segundo a gestão da empresa pública, dirigida pela burguesia burocrática a serviço do imperialismo através do governo Bolsonaro, a greve é ‘descabida’.
Tanto juristas de “renome” como Ives Gandra, como o Dias Toffoli (as vezes demonizado pela direita bolsonarista, mas que sempre agiu a favor dos interesses da burguesia), deram suas decisões no tribunal burguês para reprimir a greve dos trabalhadores petroleiros.

Os trabalhadores também reivindicam o fim da paridade com os preços internacionais. Essa medida é, em particular, um serviço descarado ao imperialismo: com a alta do dólar, favorece os compradores e especuladores internacionais, de um lado, e prejudica o povo, aumentando o preço dos combustíveis, por outro.
Fica evidente, assim, que o sucesso desta greve é indispensável para o bem-estar do povo brasileiro.

Para assegurar essa vitória, todavia, é preciso espalhar o exemplo dos caminhoneiros: tornar esta uma greve nacional, que faça frente a todos os desmontes do Imperialismo e seus lacaios.

O papel dos progressistas, democratas e marxistas nesse cenário é o de agir como arautos desta luta, defensores infatigáveis dos trabalhadores e persistentes agitadores!

Nunca esquecendo, neste processo, de refutar os oportunistas, pelegos e revisionistas, ávidos para tomar em suas mãos sujas o destino do povo, jogando-o em mais um acordo desgraçado.

Deste modo, a missão colocada diante de todo revolucionário brasileiro é transformar esta faísca em incêndio, encontrando nesta luta defensiva, econômica, as sementes objetivas para a luta política e consciente e, finalmente, empregando todas as forças possíveis para transformar esta greve em uma poderosa GREVE GERAL.